30 maio 2005

Chico Mendes por Antonio Dias


Esta é uma tela do artista plástico Antonio Dias, de 1995, em homenagem ao líder seringueiro Chico Mendes, brutal e covardemente assassinado no Acre em 1988, às vésperas do belo natal amazônico. Chico foi exemplo de luta e de caráter, um verdadeiro emblema do que é, de fato, ter um sentido para viver e, se preciso, morrer. (Chico, entretanto, nunca desejou morrer em sua luta. Declarava insistentemente que sua morte não salvaria a Amazônia. Por isso sempre dizia: "Eu quero viver!") Será que Chico - na história, no exemplo de coerência e disposição para lutar contra aqueles que ameaçavam a integridade e a cultura da Amazônia e do Acre, a vida de nossas florestas setentrionais - está realmente morto?! Na bela tela de Antonio Dias, o simples Francisco Alves Mendes Filho aparece-nos mais vivo e brilhante do que nunca. Viva Chico! Sempre!