18 fevereiro 2006

A visita "desprezada" de Dr. Adilson Vaz Cabral Filho



Adilson Vaz Cabral Filho, Doutor em Comunicação Social pela UNIMEP/SP e professor da Universidade Federal Fluminense, e eu, durante a noite de abertura do II COMUNICAR – Seminário de Comunicação Social da Facnopar, realizado entre os dias 03 e 05 de outubro de 2005. Prof. Adilson Cabral foi, sem dúvida alguma, o mais importante nome da Comunicação Social no Brasil a pisar o chão do campus da Facnopar. No entanto, o desprezo e o total desinteresse por sua passagem por Apucarana evidenciaram-se na ausência de um número expressivo de alunos à sua palestra (sensacional, diga-se!) e no comportamento tosco, canhestro e tacanho dos membros administrativos e diretivos da instituição, que a ele nada ofereceram, nem um jantar, nem um passeio pela cidade, nem a cortesia de buscá-lo no Aeroporto Internacional de Londrina, traslado realizado por mim e minha esposa, em nosso carro. À exceção da cordialidade e da docilidade comuns do Dr. Leonardo Prota, que fez questão de fazer a abertura formal de nosso evento – que tratou de tema pujante e eloqüente: “A Comunicação como Direito Humano Fundamental” -, sequer mãos foram estendidas ao Dr. Adilson por membros da estrutura burocrática e acadêmica da Facnopar. Aliás, ninguém compareceu ao evento para compor mesa, fazer as honras da casa, nada, nada, nada. Esse era o curso que eu coordenava e que a elite da Facnopar adoraria (e não cansava de repetir em reuniões, sempre intermináveis e improdutivas...) pudesse se tornar a menina-dos-olhos da instituição... De qualquer modo, em meu nome e em nome dos excelentes alunos e sujeitos que existem na Facnopar, é preciso, sim, dizer sempre: “Muitíssimo obrigado, Prof. Adilson Vaz Cabral Filho!”