25 junho 2006

Liberdade, abre as asas sobre nós - canto de boas-vindas a meu filho João Gabriel



A liberdade, ensinou-nos mestre Norberto Bobbio, não é uma dádiva, e sim uma construção humana, um resultado sempre possível da organização e da luta política. Era assim que ele definia a chamada liberdade positiva, que se pauta sempre pelo que há de ausente, ainda não-perceptível, mas já necessário pelas aspirações de homens e mulheres na edificção de uma realidade justa e efetivamente humana. Bobbio já nos deixou, em 2004; assim como, em 2005, foi morar no céu (lá deve ser um local em que se concentra muita gente boa!) o poeta comunista Moacyr Félix, que nos legou o mais belo epitáfio acerca da liberdade que eu já pude conhecer:

- Meu pai, o que é a liberdade?

- É o seu rosto, meu filho, o seu jeito de indagar

o mundo a pedir guarida

no brilho do seu olhar.

A liberdade, meu filho,

é o próprio rosto da vida

que a vida quis desvendar.

Esses belos versos, de "Canto para a transformação dos homens", sintetizam meus vôos sobre o conceito e a prática de liberdade, orientando minha ação e alimentando meus sonhos e minhas mais fortes esperanças.

Sempre lembrando de gente muito importante em minha vida (a maioria só pude conhecer através de palavras e imagens de TV e Cinema), como Sérgio Buarque, Florestan Fernandes, Drummond, Darcy Ribeiro, Félix, Apolônio de Carvalho, Octavio Ianni e tantos e tantos outros, brasileiros, estrangeiros, universais... peço aos céus (aos responsáveis por esse lugar que deve ser muito bom, justo e, creio, humano, imperfeito, belíssimo!!!) que tragam ao mundo a liberdade de que todos que chegam tanto necessitam para o bem viver. Que a liberdade carregue meu filho João Gabriel sempre em seus braços, em direção ao infinito da felicidade e da grande realização humana neste mundo. Que a convergência e os mapas para toda a grande festa estejam sempre ao alcance de suas idéias e de suas mãos.

Venha, João Gabriel. Sua mãe Karina e eu estamos ansiosos à sua espera, lutando muito - incansavelmente! - para fazer deste nosso mundo um lugar que seja digno da esperança que você, sem dúvida alguma, trará no olhar...

Amamos você, Jota!