21 outubro 2006

Verdadeiramente amar...

VLADIMIR MAIAKOVSKI (1893-1930)
Não acabarão com o amor,
nem as rusgas,
nem a distância.
Está provado,
pensado
verificado.
Aqui levanto solene
minha estrofe de mil dedos
e faço o juramento:
Amo
firme
fiel
e verdadeiramente.