12 dezembro 2006

Dezoito Anos Sem Chico Mendes

Francisco Alves Mendes Filho, o Chico Mendes (1944 - 1988) - na foto com o filho Sandino -, líder sindical e seringueiro responsável por universalizar a questão amazônica, principalmente aquela que diz respeito à situação de espoliação e miséria dos povos da floresta setentrional brasileira. Ao anoitecer de 22 de dezembro de 1988, faltando poucos dias para o belo natal acreano, Chico foi covardemente assassinado, com tiros nas costas, "atocaiado" em sua cidade natal, Xapuri, no sudeste do Acre... A vida, a memória e as lições que Chico Mendes nos deixou, contudo, persistem vivas, intensas e suaves como sua fala, sua luta, o mundo que sonhou para todos nós.
Seringueiro


de Zé Geraldo, em homenagem a Chico Mendes (Álbum Viagens e Versos, 1989, Gravadora Eldorado)

Muita dóno pio da jaó
Bem-te-vi viu primeiro
Tratou de avisar o mundo inteiro
só não pode evitar
que um golpe traiçoeiro
derrubasse o mais forte seringueiro

Chora rio
desafoga cachoeira
Sai no bico da torneira
o choro de um coro
de curiós e juritis
acompanhando o canto da perdiz
Como era verde o meu País