20 dezembro 2006

Mais de 2000 visitas, uma odisséia na Terra...

Desde o início de 2006, quando prometeu um tom mais intimista em seus posts - algo diferente da postura teórica, biográfica e descritiva que o acompanhou em 2005 -, o "Espaço de Cultura Socialista" tem procurado reunir poesia, imagem e palavra proseada em sua defesa da história das idéias socialistas, de esquerda, humanistas. Agora, já a ultrapassar 2000 visitas, este blog se sente bem, ciente de estar a desempenhar bom papel, corroborando de fato a construção de um canto novo de debates e exposição de valores e juízos. Para 2007, mudanças também já estão planejadas.
Antes de mais nada, haverá mais espaço para poesias e fotografias, para as mídias que hoje julgo extremamente condinzentes com a realidade, com todas as tentativas de destrinchá-la, lançar-lhe olhar e palavra críticos, irredutíveis ao conformismo, ao situacionismo dos cínicos de plantão. Os textos, planejados em grande escala para o próximo ano, serão de contextualização histórica, de memória e de resenhas artísticas e culturais, focando CDs, livros, espetáculos e ocorrências da vida política, social e econômica no Brasil e em todo o mundo. Haverá, pois, menos espaço reservado a textos de outros veículos de comunicação.
Esteticamente as mudanças já estão no ar. O site está mais clean (fundo branco, textos mais "soltos", imagens escolhidas a dedo para contrabalancear idéias e intenções). Além dessas mudanças, toda a parte direita do blog será destinada a parceiros - decerto, não comerciais! -, frases, obras de arte e agenda de eventos e fenômenos da vida cultural.
Bom, neste final de ano, entre as festas de Natal e Ano Novo, o "Espaço" sofrerá alguns testes estéticos e, eventualmente, terá inseridos novos posts, muitos dos quais poderão ser temporários. Nesse ensejo, como blogueiro deste cybermundo tão especial a mim mesmo, desejo a todos os amigos e parceiros um final de ano receptivo a grande reflexões e planos para um 2007 mais bonito, humano, fraterno, cheio de possibilidades para todos nós. É isso.