23 março 2007

Carta de Amor

Andar só e não estar só
Sonhar o sonho dos ausentes
Para reparti-lo na chegada
Compor a imagem do que não se vê
E vislumbrar outros caminhos que nos levarão
Abraçar a alma alheia
Como se fosse minha
Estendendo a mão para quem passa
Sonhar um sonho com o nome de Revolução
Pois amar é um ato revolucionário
E só faz a Revolução
Quem souber amar
Pedro Munhoz
MST