28 outubro 2007

A felicidade exige valentia

"Posso ter defeitos, viver ansioso e ficar irritado algumas vezes, mas não esqueço de que minha vida é a maior empresa do mundo, e posso evitar que ela vá à falência.
"Ser feliz é reconhecer que vale a pena viver apesar de todos os desafios, incompreensões e períodos de crise. Ser feliz é deixar de ser vítima dos problemas e se tornar um autor da própria história.
"É atravessar desertos fora de si, mas ser capaz de encontrar um oásis no recôndito da sua alma.
"É agradecer a Deus a cada manhã pelo milagre da vida. Ser feliz é não ter medo dos próprios sentimentos. É saber falar de si mesmo. É ter coragem para ouvir um "não". É ter segurança para receber uma crítica, mesmo que injusta.
"Pedras no caminho? Guardo todas, um dia vou construir um castelo..."
Fernando Pessoa - 70º aniversário da sua morte

25 outubro 2007

Sociologia dos Prazeres (homenagem minha às ilusões amorosas fourierianas)

"O Outro Lado", de Rosa Pereira (óleo sobre tela, 2001)

(por Marco A. Rossi)

Tenho vivido de repetidas imagens
Arrepios, devaneios, quase-pulsões
O que me freia desconheço
Covardia? Resignação?
É provável que seja a desconfiança

Desconfio de meus desejos
Elevo-os aos céus
Rebaixo-os ao quinto dos infernos
Moralizo meus destemperos
Apimento meus moralismos
Um minuto além
Como o anjo louco, mensageiro do prazer

Vejo-a cá em mim
Diuturna e insistentemente
Abaixo, bem abaixo, na cintura
E no nível renitente dos lábios
Abro os olhos e fujo
Dou dois passos para trás
Quase explodo
É só imaginação, sei, juro
Mas chego a sentir tudo, de verdade

Rejeito e me procuro para as pazes
Quero-a e em seguida desisto mais uma vez
Suores, salivas, odores, cruzamentos múltiplos
Calor, volúpia, eternidade

E agora? Agora é hora
Levanto-me sem despertar
Desperto quase sempre sem me levantar
Aguardando que ela vá embora
Fico sempre mais um tempo
Amo-a, só, por alguns instantes, acelerado
Dái o dia enfim pode começar
Alívio, cansaço, solidão

14 outubro 2007

Dia do professor...

Comemorando por conta própria, na véspera domingueira de um descanso merecido, encontrei pérola guevariana que postula a síntese de meus achados e percalços docentes. Bom, antes de mais nada, parabéns, Prof. Marco A. Rossi! Agora é seguir em frente, preparando-me mais e mais, cavocando amor e dedicação, coragem e insistência. As aulas de Filosofia e Ética vêm vindo aí... Bom e seguro é ter companhia dos escritos de Leandro Konder. Feliz dia dos professores a todos aqueles que fazem da troca de idéias uma partilha solidária e consciente por um mundo melhor!

“Nós, socialistas, somos mais livres porque somos mais completos; somos mais completos porque somos mais livres.”
CHE GUEVARA

13 outubro 2007

Saudade...

Paulo Autran
1922 - 2007


Obrigado, Paulo Autran! Meus sinceros agradecimentos por sempre insistir na grande arte, na estrondosa interpretação, no superlativo sentimento, na inabalável sensibilidade. Nunca terei como corresponder às emoções que pude sentir ao vê-lo na alma e na pele de Próspero, encantando shakesperianamente a cidade de Londrina, ao ar livre, nos meus tempos de universitarismo pueril. Minhas odes ao amor que me ensinou a prestar à cultura e ao humano. E, em instância sempre superior, meus verdadeiros dizeres de honra e orgulho por tê-lo como mestre, como sábio num tempo de tantas sandices e formas banais de estupidez e desperdício da vida humana. Já está fazendo falta, Paulo Autran. Veremo-nos um dia para brindar a face interminável da arte, da cultura e da explosão dos viveres amorosos, humanos.

09 outubro 2007

Che, por mais 40 anos de esperança

Por que será que o Che
Tem este perigoso costume
De seguir sempre renascendo?
Quanto mais o insultam,
O manipulam
O atraiçoam
Mais ele renasce.
Ele é o mais renascedor de todos!
Não será porque Che
Dizia o que pensava e fazia o que dizia?
Não será por isso que segue sendo
tão extraordinário,
Num mundo onde palavras
e atos tão raramente se encontram?
E quando se encontram
raramente se saúdam
Porque não se reconhecem?

(Eduardo Galeano, intelectual - no extremo sentido do termo - e ensaísta uruguaio, autor do consagrado "As veias abertas da América Latina")