03 agosto 2009

Divagações IV - Leitura tardia

Comentário de noite em casa: escrever, ler, escrever, ler... A vida se faria completa, rica, mágica, se pudesse ser só disso, nisso tudo, sempre. A leitura contagiante é de "Zero", de Ignácio de Loyola Brandão, livro proibido por anos a fio desde sua publicação, em 1975. Trata-se de retrato cruel e ríspido de um país canhestro, enlouquecido pelo delírio de querer ser o que nunca será: outro país. O drama de José - personagem central que poderia ser qualquer um de nós, brasileiros, adocicados pelo porvir, é tácito: a vida se esparrama numa modorrenta jornada, a qual traslada do desejo de nada fazer ao sonho de tudo realizar. Nessa miscelânea cabem duras análises - e autocríticas também! - acerca do sexo, do futebol, do governo e da incrível experiência de seu um latíndio, tardio humano. Livro impressionante!