16 agosto 2009

Meio metro

"My other side", fotografia de Zé Luis Cunha

Um sinal
uma tentativa de reunir histórias
uma simples demonstração do desejo que não findou
nova estrada, vida inteira, imensa.

Um beijo, temperatura sob controle
promessa de mil manhãs
todos os amanhãs
fusão de quereres, dialética do saber
interlocução, universos afins, enfim.

Uma utopia
corpos sintonizados
ressentimentos tratados com choque
dado o xeque
irrompe a paixão

Olhares, gestos simultâneos
corações selvagens, coragem leonina
Lynch fez-se cupido:
estrada perdida, rumo à cidade dos sonhos

Um amor, conceito
suor desmedido, corrente
horizonte espraiado à vista
Por que tantos desencontros
disparadas e disparates?
Por que dor, rancor, furor?

Mãos, conexão
interminavelmente em comum
de um pelo outro
do outro pelo um
mais que parte, o tudo, o sempre

Agora é certo: meio metro
menos de um passo
uma mensagem, um abraço, calor
o beijo do brilho eterno
celeste, na relva
juntos, loucos, assim