29 abril 2011

A tal coisa certa


Bela imagem compacta do Kremlin, da Praça Vermelha e da Catedral de São Basílio, que integram as maravilhas do mundo moderno e simbolizam a força do povo russo e sua orquestra histórica sempre revolucionária.

"Fazer a coisa certa!", o que é? Passo a vida defendendo que, não importa como nem por que, devemos fazer a coisa certa. Alio a essa crença pressupostos éticos, senso de proporção e valoração estética. De muitas maneiras e de forma quase inconsciente atribuo muito do ideário e do legado socialista a essa minha tão propalada e impenitente visão do mundo. De fé e peito aberto, acredito na tal tal coisa certa. Entre roubar e ser feliz e não roubar e sentir-me feliz por isso; entre mentir e obter vantagens e não mentir e crer nisso como a grande vantagem; entre gastar agora e pagar vida afora e poupar já para ter o que gastar sempre... fico sempre com o conjunto das segundas opções. Aliás, como adepto fiel às segundas opções, mantenho-me alegre por contrastar, prever o novo, jamais calar-me diante do horror e das mentalidades caducas - despertar em mim e nos outros os sinais da rebeldia tem sido meu passo, um itinerário louco, por vezes arriscado, lindo se visto pela contramão da História, via retrovisores do tempo.