09 outubro 2012

Ela


O que mais penso
é se ela pensa em mim.
O que mais quero
é saber se ela apanha
os sinais que
envio,
nos quais insisto,
que se tornaram
o ar que,
já faz algum tempo,
todo o tempo,
eu respiro.

Ela é jovem demais,
uma menina-mãe,
aura de anjo;
corpo inteiro,
mulher dos pés
à cabeça...
Aliás, que pés!
Os mais lindos,
com os quais
desejo, lado a lado,
caminhar,
até o fim,
com um fim,
nosso,
inteiramente nosso.

Já versei sobre
seus olhos,
sua boca,
o olhar penetrante,
o sorriso mágico.

Menina,
tão menina,
uma mulher de
paradoxos, histórias
insolúveis, atraentes,
sedutoras até perder
de vista,
as vistas,
todo o juízo.

Ela é o doce que me dá
água na boca,
no tempo,
na paixão platônica
da minha vida.