30 dezembro 2012

Coração do mundo II


Era só um pedaço de mim
que se perdeu,
do todo, de tudo,
daquela longa
caminhada.

Por anos,
um tempo maior que o necessário,
o pedaço voou solitário,
sem desconfiar
que ele era mais
do que o próprio tempo,
menos do que um castigo,
superior à dor do coração.

Tricolor, um cavaleiro de paz,
vigor e esperança,
encontrou seu tudo,
aquele todo,
no sorriso gigantesco
da lua,
que viu na ponte,
dançando,
menina,
a exalar paixão,
contagiar o mundo
de um coração-menino.

Agora
seu itinerário é a calmaria,
cabelos mágicos,
que se deliciam sobre o peito a amar,
dão sombra de proteção ao olhar,
que se fixa,
abraça,
faz um amor monumental.

O coração do mundo
tem seu sol
e também sua lua,
na passagem,
no caminho inevitável da vida,
por onde passam
aqueles
que souberam
perder
para
mais tarde
ganhar.
E, esplendidamente,
amar.