31 março 2014

Tão minha quanto as estrelas


Ela é síntese de todas as belezas
amor imaginário
uma paixão de épicas realezas
viva, pulsante, guardada em meu relicário

Ora romance
ora libido exaltante
seu corpo é meu porto-seguro
beijo, provocação, o exalar vibrante

Em seus olhos repouso
nos lábios encontro leveza
meu espírito em seus detalhes se realiza
diante da vida, ergo-me fortaleza

Nada em mim existe longe dela
embora ela não exista
povoa meus sonhos apenas
reitera o que sou, sugere que eu insista

Sou, então, movido pelo vir-a-ser
pela necessidade de não desistir
tenho algum receio do amanhã
condenado ao presente sem sentir

Se ela vier, será vida que transborda
amor louco em lances sem fim
companheira de prazer e mundo
pedaço quente do céu dado a mim