21 outubro 2014

TODAS


Todas povoam
minha imaginação;
é um arco-íris
de tons, uma geometria
infinita
de curvas sempre
sedutoras.

Não me abandonam
um só instante;
falam comigo sem
nada dizer,
apenas insinuação,
existência,
coração batendo
insanamente.

Gosto
das que são
belas
de todas as
formas –
imprescindível
é que digam
à minha imaginação
que irão me amar
até o fim,
até o início
de tudo.

Dedico minhas
melhores energias
a todas,
uma de cada vez,
várias ao mesmo
tempo,
uma homenagem que
nunca cessa
(precisarei
parar um dia?)

Seu veneno mata
e alimenta
meu corpo,
meu espírito:
desconcentra-me,
impede-me
aniquila-me –
ao mesmo tempo,
o prazer que sinto
jamais poderá
ser castigado.

Há delírio
no mundo
inteiro
de suor
e paixão que
faz girar o vício,
a dança
e o beijo inexistente.