09 agosto 2016

Toque


Foi apenas um toque,
um ligeiro toque,
que eu mesmo quase ignorei.

Mas ele seguiu comigo
me lembrando do que fez
meu coração sentir,
meu corpo desejar,
minha insensatez suspeitar.

Antes do toque (intencional?),
fiquei a contemplar curvas,
e dores,
e sensações que não tenho mais:
acho que foi um toque
desesperado
em busca de amor,
um imaginário,
improvável e,
por tudo isso,
delicioso encontro
de almas e peles.

Não senti a pele no toque;
senti o que tenho medo
de recordar como é,
delírio,
paz,
erupções.

É, foi apenas um toque.